EVENTOS

UM MAGISTRADO A SERVIÇO DAS LETRAS

Quem passa pela Rua Desembargador João Vicente da Costa, situada no bairro de Ponta Negra, talvez não imagine/conheça a contribuição que deu ao Rio Grande do Norte o homenageado.

Natural da serra de Martins, João Vicente da Costa, graduou-se pela Faculdade Nacional de Direito do Rio de Janeiro, foi Promotor Público Delegado Regional de Policia do Estado , além de Deputado Estadual, Secretário e líder do Governo Dr. Antônio de Souza, (de quem era fiel admirador pela honradez). Ingressou, anos depois, na magistratura tendo exercido os cargos de Juiz de Direito e Desembargador.

Contudo, destacamos a contribuição que João Vicente da Costa deu ao seu Estado como um homem das letras, trabalhando como jornalista, redator do jornal “A República”, e colaborador de vários outros órgãos da imprensa. Ressaltamos ainda que o martinense ainda arranjou tempo para se destacar como Professor da Faculdade de Direto de Natal ( Atual Curso de Direito da UFRN), além de jurista e historiador.

João Vicente da Costa deixou um livro publicado, “Pela Justiça”, além de três plaquetes e vários textos dispersos. Era sócio do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte e membro da Academia Potiguar de Letras (hoje extinta).

Dr João Vicente da Costa recebeu inúmeras homenagens, dentre elas a de Patrono da Cadeira Nº66 do IHGRN e da Cadeira Nº 22 da Academia de Letras e Artes de Martins. Em 1993, em decorrência do seu centenário de nascimento (1893-1993) teve o livro “Ensaios Escolhidos” editado pela Editora Clima, por iniciativa da família.

O que nos motiva a escrever é justamente a mais nova homenagem que ele recebe de outro parente, o escritor Manoel Onofre Júnior, que resgatou o livro e trabalhou arduamente numa reedição revista e ampliada da obra publicada em 1993, e traz ao público a nova versão de “Ensaios Escolhidos”, (Sebo Vermelho Ediçoes 2018). Vale destacar aqui a já tradição que a Editora de Abimael Silva tem de publicar livros com viés histórico, trazendo contribuições significativas para o Estado.

O trabalho em foco é uma reunião de textos deixados dispersos pelo autor martinense e teve um ensaio de abertura de outro escritor renomado em nosso Estado, Raimundo Nonato da Silva, que curiosamente seguiu quase que a mesma carreira de João Vicente da Costa.

Com temática interessante, em vários textos sobre aspectos históricos do Estado e capítulos que abordam a origem e evolução de alguns dos nossos principais municípios, como Martins, Pau dos Ferros e Ceará-Mirim, João Vicente da Costa demonstra o seu potencial ensaístico em três perfis biográficos, escrevendo sobre Tobias Monteiro, Antônio Soares e Hemetério Fernandes. É nítida a influência dos três biografados na vida intelectual do autor.

Participando desde jovem na vida pública do Estado, João Vicente da Costa, tornou-se uma espécie de testemunha ocular do seu tempo. Destacamos ainda no livro o ensaio de abertura sobre o Governador Ferreira Chaves, e o estudo, publicado originalmente em 1959, na Revista do Tribunal do Justiça do RN, sobre Clóvis Beviláqua (Viçosa do Ceará, 4 de outubro de 1859 — Rio de Janeiro, 26 de julho de 1944) que foi jurista, legislador, filósofo e historiador brasileiro.

Destacamos ainda o texto final, um ensaio do Promotor de Justiça Manoel Onofre Neto, atual ocupante da cadeira nº 22 da Academia de Letras e Artes de Martins.

Escritor Thiago Gonzaga.

.
Zélia Macêdo: A Leide que Chegou, Chegando.

Taniamá Vieira da Silva Barreto

PREÂMBULO

Excelentíssimo Presidente da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró (ACJUS), Senhor José Wellington Barreto.

Excelentíssimo Presidente de Honra da ACJUS, Senhor Elder Heronildes da Silva, através do qual, elogiosamente saúdo as demais autoridades desta Mesa Diretiva.

Senhores Confrades e Senhoras Confreiras saúdo-os e saúdo-as através das pessoas do Acadêmico Pe Sátiro Cavalcante Dantas e da Acadêmica Zélia Macêdo Lopes Heronildes da Silva. 

Célebres Familiares da elogiada Maria Sylvia de Vasconcelos Câmara e Notável platéia, 

Apresento-vos a Confreira Elogiante, Zélia Macedo, que me concedeu a honra de prestar essa homenagem, à qual cumprimento com profunda sensibilidade e carinho. 

Senhoras e Senhores Convidados, 

Este é um momento que a nenhum outro se identifica, porque é único! 

É único, porque faz parte da história da ACJUS e demarca o compromisso da Confreira Zélia Macêdo Lopes Heronildes da Silva, com a ACJUS, enquanto instituição científica e cultural Aliás, ao longo de seus quase três anos de existência, a ACJUS tem comprovado, com atos, o seu compromisso social, ético, político, científico e técnico, para com Mossoró e o Rio Grande do Norte. 

Disse quase três anos porque a ACJUS foi fundada no dia 05 de novembro de 2014, data que marca o aniversário de nascimento do seu Patrono Rui Barbosa (05/11/1849 a 01/03/1923). 

Este momento solene e festivo demarca o compromisso da confreira Zélia em atender as formalidades estabelecidas pelo Estatuto da ACJUS, em seu artigo 25, Parágrafo Quarto. 

É pautada nesse Estatuto que falarei sobre a vida e a obra da Pleiteante à Imortalidade na Cadeira 31 da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró, a Dra Zélia Macedo, jornalista e advogada.

Senhoras e Senhores, ouso pedir licença para quebrar o protocolo e fazer a saudação à recipiendária, mesclada por um discurso crônico e poético ao mesmo tempo. 

É Crônico pelas características dos fatos que permeiam a história de vida da Confreira. 

É poético pelo perfil singelo da Acadêmica Zélia. 

Também, por ter aderência ao meu potencial de poetisa e cientista. 

Assim planejei e assim o farei, numa pretensa vontade de aproximar o meu discurso o máximo possível do caráter sui generis da recipiendária. 

Reforço minha opção com o que afirmou a psicopedagoga Alicia Fernández: 

Os poetas conseguem verbalizar os substantivos. 

Falar sem petrificar o dito. 

Não veem o caminho senão ao caminhar.

Não desfrutam do aprendido senão do aprender. 

Não descrevem jogos, começam a jogar. 

No lugar de pôr-se a escutar música, fazem-se musicar. 

Entendem o desejo a partir do desejar. 

Por isso, os poetas conseguem pensar em alegria 

E desfrutar a alegria de pensar. 

Pensar uma plêiade de significados! 

Ousadia a minha; vez que o patrimônio intelectual, cultural e solidário da Confreira Zélia é inigualável. Mesmo assim persisto no meu projeto discursivo: 

Pensar o já pensado; 

Imaginar o imaginado; 

Dizer o não dito; 

Poetizar o vivido. 

À Zélia Macedo Heronildes 

Oferto-te oração em sextilhas, 

A minha alternância da rima, 

Musicalizando suas trilhas,

Dedilhando seu caminhar c’harmonia 

Quão trigo a germinar em sinfonia.

Seleta Assembleia, creia-me, esse é o agrupamento de sentimentos que inunda o meu ser, dando significado a este momento tão especial para mim e para nós que fazemos parte da Confraria da Cultura, das Ciências, das Letras e das Artes que é a ACJUS, por ter em nosso convívio a Leide Zélia Macedo, pessoa de virtudes que só nos honra. 

É isso ai, Zélia, obrigada por nos premiar com a sua competência e simplicidade. E este é o momento da consequência de uma longa caminhada! Não uma, mas várias conseqüências. Consequências de suas várias histórias de lutas e prestação de serviços à advocacia, à comunicação, à ciência, à cultura e à sociedade martinense, mossoroense e, porque não dizer, norteriograndense. 

O trilhar de Zélia é demarcado por suas ações de construção de trabalhos na direção de concretizar sonhos de justiça e de cidadania, olhando sempre para a direção de fazer novos sonhos acontecerem. 

Uma dessas ações é este Ato de, Solenemente, Elogiar a Patrona da Cadeira 31, ao tempo que irradia para os quatro cantos de Mossoró sua história de vida Jornalística, permeada de crônicas. 

Não podia ser diferente. 

Zélia é uma estrela que nasceu irradiando não só luzes, mas perfumes, amizades, carinhos, conhecimentos e reconhecimento do próximo. Foi então, Zélia, que resgatei da minha lembrança, as memórias de quando tive a oportunidade de admirar sua atuação na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). E cheguei a conclusão de que as palavras em crônica não conseguiriam expressar quão significativa para a ACJUS é a sua participação. 

Percebi, também, Senhoras e Senhores, que a sonoridade poética poderia disfarçar a pequenez da minha oratória; pois através dos vocábulos poéticos poderei usar as metáforas e garantir uma aproximação da beleza e o lirismo da arte do bem viver da intelectual Zélia Macedo. 

Reporto-me a Hegel, para afirmar que o gênero lírico é a expressão do sentimento pessoal. "É a maneira como a alma, com seus juízos subjetivos, alegrias e admirações, dores e sensações, toma consciência de si mesma no âmago deste conteúdo" (Id). 

 

De fato, interesso-me aqui em expressar a magnitude do sentimento e expressão do estado da alma de Zélia Macedo em sintonia com a singeleza da sua competência profissional no seu mais amplo sentido. 

Isto posta pensei! Relutei; mirei para mim mesma e optei em dizer: 

Ilustre Assembleia, 

Zélia Macedo Heronildes 

Essa pessoa singela 

É natural de Martins 

Cidade serrana e bela 

Todos encantos da Natureza 

Foram postos sobre ela. 

Eu não encontro palavras 

Para aqui descrever 

Zélia Macedo Heronildes,

 

Mas, me contento em dizer: 

- Zélia é a essência rara 

Que as rosas queriam ter. 

Foi num memorável dia 

Vinte e cinco de janeiro, 

Que Dona Maria Lopes 

Em seu descendente terceiro 

Deu à luz uma menina 

Fruto do amor verdadeiro. 

Nesse dia COLOSSAL 

Os anjos no céu louvaram, 

Os sinos com alegria, 

Em memória tilintaram, 

Os pássaros com seus cânticos 

Aquele dia alegraram.

 

Da serra brotou a neve 

Deixando-a embranquecida, 

A paisagem ostentou-se 

Como uma mata florida 

Estimulando a menina 

Pra singeleza da vida. 

Seu Macedo pai de Zélia 

Não ocultava a alegria 

Era o terceiro presente 

Que da vida recebia 

E Zélia com seu encanto 

Ornamentava aquele dia. 

Aos poucos como u’a flor 

Zélia foi desabrochando

Lentamente a sua essência 

À todos foi contagiando, 

E numa mulher guerreira 

Ela foi se transformando. 

Zélia era uma criança 

Bastante introvertida, 

Grande versatilidade 

Em seu ego era contida 

Pronta para atuar 

No grande palco da vida. 

Na Escola Almino Afonso 

Famoso Grupo Escolar 

Foi onde Zélia Macedo 

Começou a estudar, 

Para encurtar a História 

Lutou até se formar.

Casou-se com Heronildes 

Excelente advogado 

Nas suas grandes batalhas 

Sempre esteve ao seu lado 

Quem muito contribuiu 

Para o seu grande legado. 

De suas grandes conquistas 

Fiz uma pequena lista 

Zélia é advogada, 

Excelente Jornalista, 

Colunista Social 

E ótima Radialista. 

Zélia é mais do que isso 

No âmbito profissional,

Excelente Professora 

Do campo educacional, 

Ganhou Título de destaque 

É uma LEIDE SOCIAL. 

Suas belíssimas crônicas 

Eu não esqueço jamais, 

Suas aulas de etiqueta 

E estilos sociais, 

Ganhou destaque e fama 

De grandiosos jornais. 

Jornal “O Mossoroense” 

Poty, Diário de Natal, 

O Gazeta do Oeste 

E o Jornal de Natal, 

Em seus históricos têm Zélia 

Como Excelente Profissional.

Excelentíssimas Autoridades e Senhoras e Senhores. 

Regozija-me poder versificar a singeleza da vida desta Leide que Integra o Primeiro Volume do Livro “Perfil Biográfico do Cerimonial Brasileiro”, foi Diretora Social do Lions Clube Mossoró por 10 anos e Assessora Especial de Protocolo e Cerimonial Leonístico Distrital. 

Uma Leide aposentada como jornalista provisionada, que conseguiu Advogar com ética e competência, sem deixar de tratar com esmero e cuidado suas atribuições de esposa e de mãe dos seus filhos: George Macêdo Heronildes e Silva, Procurador da Universidade Federal do rio Grande do Norte (UFRN) e Disraeli Macêdo Heronildes e Silva, Advogado. 

Seus netos, Thales e Valentino representam a marca da continuidade da sua linha familiar.

Faço uma pequena digressão para salientar que a situação de aposentada da Confreira Zélia não diminuiu o ritmo da sua produção, afirmativa comprovada com a produção do seu livro “A Crônica Social do Meu Tempo”, Primeira Ocupante da Cadeira No 25, da Academia de Letras e Artes de Martins (ALAM), desde 2014 e da Cadeira 31, da ACJUS, desde 2015. 

A Leide Zélia Macedo sabe construir, com sabedoria, sua própria ponte, para atravessar o rio da sua vida, com firmeza, determinação e criatividade. 

Aliás, como disse Charles Chaplin, Um cérebro criativo é capaz de transformar lindamente a vida, a natureza e a humanidade. Assim é que: 

Introduz-se Zélia na Academia 

Integrando o grupo de intelectuais

Povoando a ACJUS de brilho e poesia 

Refinando-lhe com virtudes magistrais. 

Senhoras e Senhores, digna Confreira, inseri nesta oração poética, uma paráfrase da mensagem de Mahatma Gandhi, para caracterizar o legado de Zélia Macedo, que deixa aceso o sentimento de amor à vida e da consciência de aprender tudo o que lhes foi ensinado pelo tempo afora. Além do trabalho, a ação. E quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar no interior de si mesma a resposta e a força para encontrar a saída para o limite das suas próprias palavras, o que me leva a dizer: 

Senhor Presidente, a grandeza da vida de Zélia Macedo vai além do que eu disse aqui, dotando-a das características necessárias a gozar do privilégio de Ser Imortal. Vale aqui salientar: 

O que aqui expus é só um resumo.

Há muito mais dessa Leide 

Para se argumentar 

Leide Zélia... obrigada! 

Me sinto bastante honrada 

De poder te elogiar. 

Agradecida, seleta plateia! 

Que a vida nos ensine a responsabilidade 

De entendermos o significado da significância; 

Para fazemos pelo outro o que para si medeia! 

Obrigada Jesus por fazer 

Com que ao final do que faço 

Repousar possa, nos teus braços, Contemplando sempre o saber ser.

 

Boa noite e continuemos nosso fazer!

Discurso proferido em 28 de outubro de 2017, apresentando Dra. Zélia Macedo Lopes Heronildes da Silva, à Imortalidade da ACJUS.

DISCURSO DE HOMENAGEM A ACJUS NA 
ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO RN – 08/11/2017 

Welma Maria Ferreira de Menezes 

Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte, Deputado Ezequiel Ferreira e a Deputada Larissa Rosado em nome de quem saúdo os demais Deputados e autoridades, estaduais e municipais, bem como de outras instituições aqui presentes. 

Exmo. Sr. Presidente da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró – ACJUS,Dr Wellington Barreto, em nome de quem cumprimento todos os homenageados nesta manhã e demais aqui presentes. 

É com imenso regozijo que estamos nesta nobre Casa Legislativa para comemorar os 03 (três anos) de fundação da ACJUS, fundada no dia 05 de novembro de 2014, contando hoje com 40 Acadêmicos. 

A Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró surge do compromisso de seleto grupo de profissionais, pesquisadores das mais variadas formações, comprometidos com o desenvolvimento científico e cultural de Mossoró e região, difundindo as letras jurídicas e sociais. 

ACJUS é uma instituição científica, cultural e social, sem fins lucrativos, registrada junto ao 5º Serviço Notarial de Mossoró e devidamente reconhecida como de utilidade pública pela Lei 10.047/16 e Lei Municipal 3.479/16, com área de atuação não só em Mossoró, mas em todo estado do Rio Grande do Norte. 

A ACJUS tem como patrono o inolvidável Ruy Barbosa, como Presidente José Welington Barreto e Vice-Presidente Dra. Taniamá Vieira da Silva Barreto e como presidente de honra, o intelectual ELDER HERONILDES DA SILVA. A ACJUS é filiada a Federação das Academias de Letras Jurídicas do Brasil – FALEJUB, alargando seu espaço de conhecimento e atuação. 

Nesse espectro, vale mencionar o célebre pensamento do nosso Patrono Ruy Barbosa, na Oração aos Moços: “O saber não está na ciência alheia, que se absorve, mas, principalmente, nas ideias próprias, que se geram dos conhecimentos absorvidos, mediante a transmutação por que passam, no espírito que os assimila.”

A ACJUS tem em seus membros profissionais de diversas áreas do conhecimento, cabendo ressaltar que, dentre os empossados da Academia, contamos com vários talentos nas letras e nas artes. E, nesse contexto, nasceu, em julho de 2015, o Coral Grupo Incanto ACJUS, tendo com idealizadora esta que vos fala, composto pelos acadêmicos Paulo Fernandes (Barítono), Welma Menezes e Jane Menezes, como sopranos e os músicos convidados: maestro Gideão Lima, cujo naipe é Baixo, Marcos Lima, no tenor e Daniely Melo, como contralto.

O Grupo Incanto ACJUStem como proposta participar, prioritariamente das sessões magnas da ACJUS e de outros eventos solenes. Seu repertório é composto por música clássica, erudita e popular, em diversos idiomas, bem como a execução do Hino Nacional. 

Diante dessa interação entre ciência, artes e cultura, nasce o trabalho criativo, harmonizando-se imaginação e concretude, difundindo-se o saber, o entretenimento e a cultura sócio-jurídica local, sempre primando pela valorização da criatividade, berço dos grandes feitos científicos. 

Falando-se em imaginação, cumpre citar o pensamento de Albert Einstein: “A imaginação é mais importante que a ciência, porque a ciência é limitada, ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro.” (Albert Einsten) 

Nesse mote, a imaginação é ponto de partida para o sonho e sua concretização. Para se realizar algo, antes, é preciso imaginar, idealizar e sonhar. São os idealizadores que constroem caminhos para a materialização daquele sonho. Cite-se que, dentre nós, temos muitos idealizadores, em especial, o presidente da ACJUS, José Wellington Barreto, por ter imaginado, idealizado e sonhado com a criação desta Academia, baluarte cultural, tendo se empenhado e dedicado de maneira sacerdotal.

Acresça-se a isso, que, no caminho aberto por este grande idealizador, juntaram-se tantos outros, a formar esta plêiade de intelectuais e curadores culturais, ícones da preservação do saber sócio jurídico para as presentes e futuras gerações. 

Falo dos caros confrades e caras confreiras que vieram a somar esforços para a realização deste grande feito que se estenderá pela posteridade e já é uma realidade. Por isso, cito uma frase que reflete nosso sentimento de hoje, frase esta atribuída a John Lennon e difundida no Brasil por Raul Seixas em sua música Prelúdio: “Sonho que se sonha só é só um sonho, mas sonho que se sonha junto é realidade”.

Nesse sentimento de esperança e gratidão, todos, nós acadêmicos, juntos, agradecemos ao nosso dileto Presidente, se me permitem falar em vossos nomes, pois sabemos de sua incansável e persistente luta em busca de incentivos para a construção de nossa sede própria que se encontra em andamento. Ressaltando, ainda que, mesmo diante de toda dificuldade financeira e de outros obstáculos, continua firme em sua proposta de levantar concretamente os pilares de nossa ACJUS. Lembro-me, com isso, de um trecho da poesia de Fernando Pessoa, que retrata esse ideal da construção da nossa sede: “Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo”.

Um castelo do saber e da cultura, um castelo acessível aos cidadãos mossoroenses, potiguares ou quaisquer, brasileiros ou estrangeiros, que venham bater à porta do conhecimento. 

Assim, é com grande honra que represento a Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró, o Presidente Wellington Barreto e os homenageados deste dia memorável: 

Antonio Clóvis Vieira 

Angela Maria Rodrigues de Oliveira Pereira Gurgel 

Elder Heronildes da Silva 

Francisco Péricles Amorim 

Francisco Canindé Maia 

Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira 

Osivaldo Márcio César de Sá Leitão

Pedro Fernandes Ribeiro Neto 

Taniamá Vieira da Silva Barreto 

Vanda Maria Jacinto 

Zélia Macedo Heronildes, 

Externando nossos sinceros agradecimentos aos que nos outorgaram essa honraria, os senhores Deputados desta Casa Legislativa e, sobretudo, a idealizadora, a nobre Deputada Larissa Rosado, autora da proposição, que demonstra sua sensibilidade e reconhecimento àqueles que se dedicam à área acadêmica, científica, artística e cultural do nosso Estado. 

Fazendo uma comparação metafórica, ojardim do conhecimento deve ser regado sempre, como escreveu Rubem Alves, “o que faz o jardim são os pensamentos do jardineiro”. E, aqui, nesta Ágora, onde se reúnem vários jardineiros, como representantes do povo, desejamos que de vossos pensamentos surjam vários jardins, jardins estes nos quais brotemas flores da cultura e do saber, a valorização da cultura local, como celebramos neste dia de hoje. 

É com gratidão, por tão honrosa homenagem, que finalizo minha fala, sabendo que lembraremos deste momento ímpar com o coração, como já diziam os sábios gregos, “gratidão é a memória do coração”. 

Obrigada a todos!

 

Welma Menezes é Juíza de Direito, escritora que ocupa a cadeira 30 da ACJUS e é sócia benemérita da ALAM.

NOITE HISTÓRICA COM MUITAS EMOÇÕES.

Assim, podemos definir o que realmente aconteceu na Sessão de Ontem (30/10/17), quando a ACJUS proporcionou a Mossoró momentos inesquecíveis, sendo protagonistas desse inolvidável acontecimento os confrades ELDER HERONILDES DA SILVA (cadeira 12) e ZÉLIA MACEDO HERONILDES (cadeira 31). 

Os dois cumpriram orientação regimental e exaltaram os seus patronos JOÃO BATISTA CASCUDO RODRIGUES e MARIA SYLVIA DE VASCONCELOS CÂMARA, duas proeminentes personalidades da vida social e cultural de Mossoró e por extensão do Rio Grande. 
O grandioso e organizado evento referendou o prestígio do casal elogiante e da instituição promovente. 
Podemos dizer que até ontem, Mossoró ainda não tinha presenciado alguém ser tão espontaneamente e generosamente elogiado, ameigado, aplaudido, abraçado e confraternizado, como foi o caso do casal de oradores, ELDER HERONILDES DA SILVA e ZÉLIA MACEDO HERONILDES. 
Par se ter uma rápida ideia, o livro de registro de feitos da ACJUS contabilizou a presença de mais de 300 personalidades e de 30 instituições acadêmicas, sociais e administrativas que estiveram presentes ou foram representadas pelo cerimonial do evento, destacando-se, pela ordem: ALAM, APLA, AFLAM, AMLERN, AMOL, SBEC, ICOP, MUSEU DO SERTÃO, AMLC, FUNDAÇÃO VINGT-UN ROSADO, SMARP, PREFEITURA DE MOSSORÓ, LIONS CLUBE MOSSORÓ CENTRO, MOVIMENTO DE CURSILHOS DE CRISTANDADE, FIACMM, FECBE-RN, LOJA MAÇÕNICA JERÔNIMO ROSADO (E OUTRAS LOJAS MAÇONICAS), GOB-RN, MASTER, BLOGUEIROS, JORNALISTAS, CRONISTAS SOCAIS, TCM CANAL 10 HD, OAB-MOSSORÓ, COLÉGIO MATER CHRISTI, COLÉGIO DIOCESANO, EDITORA SARAU DAS LETRAS, ACIM, UERN, UFERSA, FACULDADE DIOCESANA, ADUERN, MINISTÉRIO PÚBLICO, PODER JUDICIÁRIO, REDE FEMINIA DE COMBATE AO CÂNCER, além de outras. Tudo numa demonstração do tamanho do carinho e do respeito que a sociedade mossoroense tem para com ELDER HERONILDES DA SIVLA e ZÉLIA MACEDO HERONILDES. Também num gesto de reconhecimento inigualável e jamais presenciado em Mossoró em todos os tempos da sua história social, cultural e administrativa. 
A ACJUS não tem palavras para agradecer a todos, principalmente para agradecer ao confrade ELDER HERONILDES DA SILVA que emocionado com o carinho recebido e por discursar relembrando o seu amigo JOÃO BATISTA CASCUDO RODRIGUES foi por diversas vezes lagrimas interrompendo a sua oração acadêmica o que fez com que os assistentes o aclamassem com muita emoção. 
Agradecer a confreira ZÉLIA MACEDO HERONILDES, pelo gesto de solidariedade e de compromisso com a sua instituição acadêmica e, sobretudo por nos proporcionar um momento tão especial e tão rico culturalmente, prova maior da sua capacidade de articulação, mobilização e de liderança, bem como fruto da sua persistência, da sua competência e da sua vocação em servir a vida inteira a sociedade mossoroense e potiguar. 
Agradecer ainda a confreira pela obra literária por ela apresentada – A CRÔNICA SOCIAL DO MEU TEMPO - pois, temos certeza que esse trabalho será de grande importância como remonte histórico da nossa cidade e servirá como fonte de pesquisa e de embasamento ao ingresso de novas gerações no colunismo social e na vida jornalística de Mossoró e do Rio Grande do Norte. 
Foi indiscutivelmente uma noite de grandes e inesquecíveis emoções!

FOTOS: CÉLIO DUARTE

SESSÃO MAGNA DE ELOGIOS - 22 DE ABRIL DE 2017

Na noite do dia 22 de Abril de 2017, na Casa de Cultura Popular de Martins, a Academia de Letras e Artes de Martins (ALAM) Promoveu Sessão Magna de Elogios aos Patronos das cadeiras 22, 26 e 27.

Elogiados e Elogiantes abaixo citados:

João Vicente da Costa - Acadêmico Manoel Onofre de Souza Neto. 

Manoel Onofre de Souza - Acadêmico Manoel Onofre de Souza Júnior.

João Onofre Pinheiro de Andrade - Acadêmico Cícero Onofre de Andrade Neto.

O Evento contou com as presenças do público, autoridades locais e regionais e com a brilhante apresentação e agradável sonoridade da Orquestra Filarmônica Pe. Dário Tórbolli da cidade de Viçosa. 

 
A Presidente da Academia de Letras e Artes de Martins (ALAM) a Dra. Taniamá Vieira da Silva Barreto, agradece aos que atenderam aos convites, aos colaboradores e pelas bençãos de Deus. 

A Academia de Letras e Artes de Martins terá programação especial neste próximo dia 22 de abril, em sessão magna de Elogio aos patronos das cadeiras 22, 26 e 27, respectivamente, João Vicente da Costa, Manoel Onofre de Souza e João Onofre Pinheiro de Andrade; bem como, a concessão de título de sócio correspondente ao comunicador MOZART PIRES DE SÁ MARANHÃO.

Sessão Magna da ACJUS, dia 11 de Março 2017. 

Sessão Magna da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró (ACJUS) no último dia 11 de Março 2017. Estiveram presentes os membros da Academia de Letras e Artes de Martins (ALAM): Clóvis Vieira, Dalva Vieira, Margarida, Albetiza.

Albetiza foi homenageada.  

 

Parabéns à Olga Fernandes!!!  

Neste dia veio ao mundo essa mulher que já mostrou pra que veio. Alma limpa, pois o seu ofício é praticar o bem; cidadã ilibada, sem medo das batalhas e sempre com a certeza da vitória, porque coloca Deus à frente de tudo. Olga Fernandes é Prefeita de Martins e membro da Academia de Letras e Artes de Martins, ALAM. Ocupando a cadeira 03 da referida Academia. Dileta Olga Fernandes, receba das Confreiras, Confrades, e também de toda a população martinense, os votos de Sucesso em sua vida pública, familiar e social. Parabéns por mais um aniversário!!!    

C O N V I T E 

A Academia de Letras e Artes de Martins – ALAM tem a honra em convidar Vossa Senhoria e Ilustríssima Família para prestigiarem a Sessão Magna de Elogio à PROFESSORA MARIA ALEXANDRINA DA CONCEIÇÃO e à FRANCISCA VIANA DE MESSIAS, Patronas das Cadeiras 01 e 07, que têm como titulares respectivamente, Taniamá Vieira da Silva Barreto e Maria Dalva Vieira.

Detalhamento da Programação:

a) Sessão Magna de Elogio.

b) Exposição de esculturas, telas, livros, cordéis, quadros.

Local: Auditório da Rádio Vida. Data: 02 / 01 /2016 Hora: 14 horas.Solicitamos confirmação da sua presença para telefone: 9 8858-8792 oualamcsaberes5@gmail.com.Cordialmente,TANIAMÁ VIEIRA DA SILVA BARRETO (Presidente da ALAM)

Parabéns à Presidente da ALAM, a Dra. Taniamá Barreto.

Mulher guerreira que não teme as tempestades, pois sua fortaleza é Deus; seu nome é competência, mãe exemplar, ser humano ilibado. Assim é a Dra. Taniamá Barreto, uma criatura que veio ao mundo para vencer pois Deus a marcou ainda no ventre de sua mãe com o selo da vitória. Dra. Taniamá, os que formam a Academia de Letras e Artes de Martins, ALAM da qual és Presidente, te desejam uma existência de farta colheita de bençãos. Parabéns Dileta Confreira.

Homenagem à ALAM, na II Semana da Cultura em Umarizal.

No domingo, 13 de dezembro de 2015, no encerramento da Festa de Santa Luzia em Umarizal, dentro da II Semana da Cultura, a Academia de Letras e Artes de Martins, ALAM, esteve sendo homenageada; homenagem esta, que nos trouxe alegria e honra. Estiveram presentes os seguintes membros da ALAM: A Dra. Taniamá Barreto, Presidente, o 1º Orador Luiz Francelino Filho, o 2º Tesoureiro Dr. Clovis Vieira, João Sabino, o Diretor de ComunicaçãoFrancisco Vieira Filho e convidados de honra da ALAM: O Poeta/Cordelista, Musicista e Cantor, Antonionilson Silva e a Professora Tânia Andrade. A Academia de Letras e Artes de Martins, ALAM, agradece grandemente ao Érico Azevedo, Presidente do Grupo Cultural Coração Junino, ao Ésio Carlos Luz, Porta voz do referido grupo, ao Jadson Jatão, pelos trabalhos de chamada, à FM Fraternidade Umarizal, à todos e todas que participaram da organização do Evento e ao publico presente que nos presenteou com sua carinhosa atenção. Que o Divino Criador derrame sobre todos nós um Dilúvio de Bençãos.

 

 

CONVITE

Mais um grande evento a ser realizado pela ACJUS - Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró no próximo dia 23/10/2015 à partir das 19h, no auditório da OAB/Mossoró, trata-se da Sessão Magna de elogio aos Patronos das cadeiras 16 e 30, conforme convite abaixo.

Diletos Confrades e Confreiras.

A convite do Reitor/UERN Prof. Dr. Pedro Fernandes Ribeiro Neto, comparecemos a uma Reunião no Gabinete da Reitoria, juntamente com as Academias: AMOL, AFLAM, ALAM, AAPOL, APLA, ACJUS, AMLERN, e demais ENTIDADES AFINS: SBEC, ICOP, MUSEU DO SERTÃO E ASCRIM, representadas pelos seus presidentes: Joana D’Arc Fernandes Coelho, Elder Heronildes da Silva, Taniamá V. da Silva Barreto, Marcos Pinto (representado), Wellington Barreto, Benedito Vasconcelos, Carlos Filgueira, Silva Neto. Na presença de todos, o Reitor manifestou o desejo de que as Academias e Entidades Afins, participassem das festividades de comemoração dos 47 anos da UERN, como também, fez a proposta de se institucionalizar uma Integração inter-institucional - UERN/ACADEMIAS E ENTIDADES AFINS. Mediante a concordância dos presentes, por unanimidade, ficou definida a realização de uma reunião no dia 25, 6ª feira, as 16h00, no Gabinete da Reitoria, constando da seguinte programação:

a) Abertura pelo Reitor;

b) Apresentação da História de cada Entidade Cultural, e

c) Assinatura de um TERMO DE COOPERAÇÃO A SE CONSAGRAR entre as partes.

A REUNIÃO ACONTECERÁ NO DIA 25 DE SETEMBRO, AS 16H00, NA REITORIA. Todas e Todos se sintam convidados(as). De Taniamá

Os Confrades e Confreiras, felicitam ao Imortal Wilson Silva. Que os bons ventos soprem as velas do barco da sua existência, rumo ao sucesso. Feliz aniversário Dileto Confrade. 

 PARABÉNS À ELES

Hélia de Oliveira Silva Vice-presidente da ALAM, Academia de Letras e Artes de Martins.

Claudio Henrique de Oliveira, Vice-diretor de Comunicação da ALAM, Academia de Letras e Artes de Martins. 

A Academia de Letras e Artes de Martins "ALAM" em nome de sua Presidente a Dra. Taniamá Vieira da Silva Barreto, deseja à Confreira Hélia de Oliveira Silva e ao Confrade Claudio Henrique de Oliveira, a luz da Sabedoria Divina, e assim, sejam árvores frutíferas. Feliz aniversário!!!  

 

Aniversariante da ALAM

Hoje quem vira mais uma página do calendário da existência, é Luiz Francelino Filho, 1º Orador da Academia de Letras e Artes de Martins ALAM e membro efetivo da referida. Dileto Confrade, que as suas obras te façam Imortal, que Deus te encha de Sabedoria. Feliz aniversário!!!

O ADEUS A ANNA MARIA CASCUDO BARRETO

 

15 de janeiro de 2015 - Morre aos 78 anos a historiadora Anna Maria Cascudo Barreto.

Entre os inúmeros títulos da sua trajetória de pesquisadora, enquanto advogada, jornalista e historiadora, Anna Maria Cascudo Barreto acumulou o de Sócia Correspondente da Academia de Letras e Artes de Martins- ALAM. 

Nosso Adeus.

101 Livros do RN (que você precisa ler).: Entrevista com Anna Maria Cascudo Barreto (1936 - ...: ANNA MARIA CASCUDO BARRETO (Entrevista realizada por Thiago Gonzaga para o livro “Impressões Digitais” vol 2) 1- Anna Maria Ca...

left show tsN fwR b15s bsd|left fwR tsY|left show fwR tsY|bnull|||news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||