Discursos

DISCURSO PROFERIDO PELO FRANCISCO GOMES MANIÇOBA, (DR. MANIÇOBA) NO DIA 18 DE MARÇO DE 2017, QUANDO DA SUA DIPLOMAÇÃO E INTEGRAÇÃO À ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DE MARTINS (ALAM)

Ilma. Sra. Presidente da ALAM. Dra. Taniamá Vieira da Silva Barreto

Exma. Sra. Prefeita Olga Fernandes.

Senhoras e senhores acadêmicos

Senhores familiares e senhores convidados

Caros confrades e confreiras.

É indescritível, sem dúvidas, a satisfação hoje de ingressar na Academia de Letras e Artes de Martins (ALAM) que em Sessão Magna de Diplomação e Entronização, nos confere a partir deste momento, fazer parte de seus quadros.

Confesso, e porque não dizer, que sempre passou por meu íntimo, o desejo de pertencê-la posto que as letras, as artes e a cultura sempre foram partes integrantes do meu cotidiano.

Não foi possível participar da Sessão de Fundação desta Academia, embora convidado, mas por circunstâncias alheias a minha vontade, esse desiderato passa a ser, a partir de agora, uma palpável realidade.

É de bom grado tornar ciente também a todos os presentes, que sempre fui um ardoroso adepto dos movimentos literários protagonizados durante o limiar do século XIX, tendo como cenário todo continente europeu que culminou com o advento do classicismo, do realismo, do romantismo, do naturalismo, do parnasianismo e do simbolismo, tendo como principais protagonistas: Charles Baudelaire, Victor Hugo, Almeida Garrett, Eça de Queiroz, Feliciano de Castilho, além de outros.

Esses movimentos literários não demoraram muito para eclodir nos principais centros culturais do país, para depois irradiar-se por esse Brasil afora, contando com a simpatia de fervorosos intelectuais da época, notadamente figuras exponenciais, como Machado de Assis, Castro Alves, Álvares de Azevedo, Tobias Barreto, Euclides da Cunha, Rui Barbosa, Joaquim Nabuco, Coelho Neto, Monteiro Lobato, Gonçalves Dias, Cassimiro de Abreu, José de Alencar, Fagundes Varela, Alphonsus de Guimaraens e Cruz e Souza.

É bom deixar patente que mais adiante um desses, o movimento simbolista, teve o engajamento do pré-modernista, o poeta paraibano Augusto dos Anjos em sua célebre obra "Eu e outras poesias", cuja característica era mais sugerir que nomear, apresentando um subjetivismo onde buscava no misticismo e na religiosidade, o mistério da morte.

Através da história, sabemos que após esses movimentos culturais, desencadeados, reitere-se, em toda Europa, aqui uma plêiade de intelectuais à época, tendo à frente  o famoso escritor e contista brasileiro Machado de Assis, no afã de difundir a cultura no país, resolveu fundar a famosa Academia Brasileira de Letras (ABL) com sede na cidade do Rio de Janeiro, cujo escopo principal era aprimorar as letras e as artes no âmbito do território nacional.

Por sua vez, os estados brasileiros absorvendo e recebendo o bafejo desse movimento cultural, resolveram fundar suas chamadas academias estaduais de letras.

No Rio Grande do Norte, por exemplo, temos também a nossa, composta por intelectuais da estirpe de José Augusto Bezerra de Medeiros, Câmara Cascudo, Nísia Floresta, Zila Mamede, Auta de Souza, Edgar Barbosa, Oto Guerra, Hélio Galvão, Nilo Pereira, Henrique Castriciano, Floriano Cavalcante, Veríssimo de Melo, Umberto Peregrino, Nilton Navarro, Américo de Oliveira Costa, Palmira Wanderley, Rômulo Wanderley, Manoel Onofre Júnior, João Medeiros Filho, João Batista Cascudo Rodrigues, Vingt-un Rosado, Helder Heronildes da Silva, Jaime Hipólito Dantas e outros.

E agora, a Dra. Taniamá Vieira, imbuída pela vocação machadiana que lhe é peculiar, entendeu que Martins, sua terra natal, sendo um celeiro de pessoas devotadas às letras, à cultura e à música, achou por bem fundar esta Academia e fazer dela um viés da cultura para assim também poder homenagear as pessoas ilustres da altaneira serra, que contribuíram para o desenvolvimento no âmbito intelectual, político e social, destacando-se entre tantos as seguintes personalidades:

Nas letras, nas artes e na música:

Dr. Almino Álvares Afonso, Desembargador Joaquim Inácio de Carvalho, Sinval Moreira Dias, Horácio Barreto, Dr. Pelópidas Fernandes, Desembargador João Vicente da Costa, Gil Soares, Manoel Onofre de Souza, Demétrio Lemos, Giovani Xavier da Cunha, José Xavier, Edson Lucena, Elizeu Ventania, Caio Regalado, Poeta Cosme Lemos, Memorialista e escritor Raimundo Nonato da Silva, Francisco Fernandes de Queiroz, Deusdedeth Maia, Ivanaldo da Costa Melo, e o nouvel escritor, poeta e radialista Chico Filho, além dos maestros João da Costa Melo (Janjão) e Antônio Cabrinha da Silva (Tonhé) sendo este substituído pelo também não menos festejado, maestro Luís Leite Neto.

Na política se destacaram após a redemocratização do país, as seguintes autoridades:

José Elinas dos Santos, João Fernandes dos Santos, Dr. Raul da Franca Alencar, Dr. Jocelyn Vilar de Melo, Dr. Francisco Xavier de Lucena, Alzira Carvalho, João Bosco Amorim, Tiburtino de Carvalho Costa, Antônio Guedes Trigueiro, Francisco Marcelino Júnior, Dr. José Fernandes de Queiroz, Dr. Moacir Rodrigues dos Santos, Manoel Barreto, Marcos Fernandes de Queiroz, Haroldo Ribeiro, Maria José de Oliveira Costa e Olga Chaves Fernandes de Queiroz Figueiredo.

Por conseguinte, Senhora Presidente, esperamos doravante, dar nossa parcela de contribuição à ALAM, com o firme propósito de ensinar alguma coisa, e muito mais, o desejo de aprender também.

Com ser assim, gostaria de agradecer à nobre Presidente, pelo convite de compor daqui pra frente as fileiras desta Entidade, rogando ao Criador do Universo que nos ilumine com suas benfazejas bênçãos, dando-nos força de prosseguir nessa tarefa de difusão da cultura martinense.

Muito obrigado. 

 

INSTALAÇÃO DA ALAM, EM 14 DE MARÇO DE 2014 

1) DISCURSO DA PREFEITA DE MARTINS - OLGA FERNANDES

2) DISCURSO DA IDEALIZADORA E PRESIDENTE DA ALAM - TANIAMÁ VIEIRA DA SILVA BARRETO

3) DISCURSO DO COLABORADOR NA ORGANIZAÇÃO DA ALAM - JÚNIOR MARCELINO

 

DIPLOMAÇÃO DOS ACADÊMICOS DA ALAM

1) DISCURSO DA PREFEITA DE MARTINS - OLGA FERNANDES

2) DISCURSO DA PRESIDENTE DA ALAM TANIAMÁ VIEIRA DA SILVA BARRETO

3) DISCURSO DO ORADOR OFICIAL DA ALAM - LUIZ FRANCELINO FILHO

4) DISCURSO DO CONFRADE IVO BARRETO DE MEDEIROS EM HOMENAGEM AO SEU PAI E PATRONO 

5) ELOGIO DO CONFRADE ANTONIO  CLÓVIS VIEIRA AO SEU PATRONO ELIZEU VENTANIA

 

left show tsN fwR b15s bsd|left fwR tsY|left show fwR tsY|bnull|||news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||